5 lições que aprendi com o filme Sociedade dos Poetas Mortos

Acreditem se quiserem: só assisti esse filme ontem! E não deveria ter demorado tanto tempo… Não sei se todos já assistiram, por isso resolvi falar um pouco sobre ele aqui (ATENÇÃO! CONTÉM SPOILERS!).

Sociedade dos Poetas Mortos é um filme denso e cheio de ensinamentos, especialmente para quem, assim como eu, está sedento por mudanças e crescimento pessoal. Mas calma! Não se trata de um filme de auto-ajuda, mas que provoca bastante reflexão.

65c9e5_834220ffbf274e48b0bc68a1f73bf976_mv2

O drama foi lançado em 1990, mas retrata a vida dos alunos numa escola chamada Welton Academy, em 1959. Trata-se de um internato bem rígido e tradicional, exclusivo para garotos, e que claramente conta com alunos cujos pais alimentam grandes expectativas para o futuro de seus filhos, que devem seguir carreiras tradicionais.

Tudo muda com a chega do Professor Keating (interpretado por Robin Willams), que leciona poesia de uma maneira bem diferente. Ele provoca os alunos a pensarem por si mesmos, a se expressarem e viverem intensamente, além de incentivar a criação da Sociedade dos Poetas Mortos, uma sociedade secreta na qual os alunos se reuniam para lerem poesia e conversarem assuntos diversos fora do ambiente da escola.

É nesse contexto que aprendemos várias lições valiosas que podem ser aplicadas na nossa vida. Separei 5 lições explicadas a seguir.

1- Carpe diem

Quem nunca ouviu essa expressão que atire a primeira pedra.  Carpe diem é uma expressão em latim que significa aproveite o dia e que foi citada pelo Professor Keating em uma das primeiras cenas na qual ele aparece incentivando os alunos a viverem intensamente, pois o tempo passa rápido e um dia não estaremos mais aqui. Eu deveria escrever isso em todas as paredes no meu quarto para ver se aprendo! Às vezes ficamos tão focados nos problemas e em garantir um “futuro melhor”, que esquecemos de aproveitar o que há de melhor na nossa vida hoje. Isso não significa que devemos ser irresponsáveis  e vivermos como se não houvesse amanhã, mas que precisamos ter consciência de que a vida é passageira e, por isso, precisamos aproveitar o melhor das situações e dos momentos com as pessoas que amamos no presente.

sociedade-dos-poetas-mortos-5

 

2- Saia da zona de conforto

Durante toda a história o Professor Keating colocava os alunos em situações pouco convencionais, de acordo com a escola, na tentativa de fazê-los sair da zona de conforto, fosse saindo da sala de aula, rasgando o livro de poesia, gritando, subindo na mesa do professor…Ele realmente queria que os alunos expressassem o que eles  sentiam e o que  queriam. Tudo isso me fez pensar que “pensar fora da caixa”, fugir do padrão, é um grande desafio para nós porque fomos ensinados/doutrinados a sermos iguais, a atendermos as expectativas da maioria, a enxergarmos apenas o que está a nossa frente. Eu quero sair da minha zona de conforto!  Eu quero enxergar além! Ver outras possibilidades na minha vida e buscar isso! No princípio pode ser difícil, como foi para os alunos de poesia realizar as tarefas exigidas pelo Professor, mas acredito que buscar o novo é libertador!

3- Questione sempre!

Uma cena icônica do filme mostra um dos alunos lendo a introdução do livro de poesia, a pedido do Professor Keating. Após a leitura, que basicamente comparava o ato de fazer poesia com uma ciência exata, o Professor pediu que alunos rasgassem essa parte do livro e, em seguida, convidou-os a questionarem todos os autores, tudo o que liam, e expressassem suas próprias opiniões sobre os assuntos. Pense por si próprio!! Essa é a lição. Não se deixe levar por pensamentos e avaliações externas. Não importa o quão importante a outra pessoa se intitula. Você é um ser pensante e tem sim capacidade para avaliar o que lê ou escuta. Desenvolva essa habilidade crítica em sua vida e questione sempre.

4- Trilhe seu próprio caminho

Ninguém pode viver sua vida por você. Se você tem um sonho, um objetivo, corra atrás disso, mesmo que contrarie a expectativa dos outros sobre você. Foi o que tentou fazer o personagem Neil Perry (interpretado por Robert Sean Leonard, o eterno James Wilson da série House). De uma família conservadora, o pai esperava que Neil fizesse medicina, e não aceitava nenhum questionamento quanto a isso. Após a convivência com o Professor Keating, e seu engajamento na Sociedade de Poetas Mortos, ele descobre seu talento para o teatro. Então ele tenta participar de uma peça, mesmo contrariando seus pais, e consegue o papel. É disso que falo sobre trilhar seu próprio caminho. Sei que é difícil, pois ainda estou tentando encontrar o meu. O que eu sei é que não pautar minha vida na opinião de terceiros, nem percorrer o mesmo caminho que os outros, só porque “todo mundo fez assim”. Absorva essa ideia: Você não é todo mundo! Então viva a sua própria vida!

5- Não desista da vida por causa das dificuldades

No último tópico eu disse que o personagem Neil tentou trilhar o seu próprio caminho. Tentou. Após a apresentação da peça seu pai o levou para casa. Inconformado com o desejo do filho de virar ator, ele diz para Neil que vai tirá-lo de Welton e enviá-lo a um Colégio Militar e que, depois, ele iria fazer medicina, exatamente como a família havia planejado. Neil praticamente entra em estado de choque e sequer consegue discutir com seu pai. Sem conseguir enxergar uma saída para a situação, Neil pega a arma do pai e se mata. Suicídio. Nunca tive esse tipo de pensamento, mas consigo imaginar a angústia de uma pessoa para tomar tal atitude. Sei que muitas vezes não conseguimos encontrar saída para os problemas que encontramos durante a vida, mas acredito que, por pior que seja a situação, não podemos nos desesperar. O próprio Professor Keating havia ensinado durante a aula: Aprenda a ver as situações por outro ângulo, mas tomado pelo desespero e decepcionado por não viver a vida que imaginava, Neil não conseguiu se lembrar disso. Se você, assim como Neil, não consegue enxergar uma luz no fim do túnel, converse e procure ajuda profissional. Você não está sozinho. As dificuldades vão passar.

the-dead-poets
Eu subo na minha mesa para lembrar a mim mesmo que nós devemos constantemente olhar as coisas de uma maneira diferente.

Apesar dos spoilers, o filme ainda tem muito o que acrescentar, por isso recomendo muito assistir e a aprender com ele.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s