Nem sempre as coisas ocorrem como você planeja

nem-sempre-as-coisas-acontecem-como-voce-planeja-irmascarvalhoblog

Após decidir que em 2018 eu me dedicaria a ter uma vida mais organizada, adotei o hábito noturno de listar as tarefas e compromissos para o dia seguinte. Isso funcionou tão bem para mim que não consigo mais fazer nada que eu não tenha anotado rsrsrs Loucura? Talvez… Para essa segunda-feira não foi diferente. Os meus planos estavam traçados e minha determinação já estava a mil. Tem gente que não gosta de segunda, mas esse é o meu dia mais produtivo, consigo permanecer motivada o dia inteiro.

E você acha que deu tudo certo? Dessa vez não. Não consegui fazer nada. Tive uma crise alérgica e fui parar no pronto socorro durante a madrugada. Passei a noite acordada entre remédios e o dia dopada por causa das substâncias que ingeri. Ainda estou tomando remédio, mas já estou bem melhor.

Por que fiz esse relato?

Para demonstrar algo meio óbvio, mas que esquecemos de vez em quando. Nós não temos controle sobre a vida, não sabemos realmente o que vai acontecer amanhã nas nossas vidas ou na vida das pessoas que amamos. É claro que isso não significa que você não deve se planejar para o futuro, ou estabelecer metas e sonhos para serem alcançados. Mas saiba que, inevitavelmente, coisas ruins vão acontecer.

Não é uma praga que eu estou jogando não, é só que a vida é assim mesmo. Para todo mundo.

o-futuro-a-deus-pertence-irmascarvalhoblog

Por isso tudo, espero que nessa semana você corra atrás dos seus sonhos sim, lute por uma vida melhor como sempre fez, mas lembre-se: Carpe diem! Tire um tempo para cuidar de você e não se esqueça das pessoas que tornam sua vida especial, afinal não sabemos sobre o dia de amanhã.

 

O que é ser feliz?

o-que-e-ser-feliz-irmascarvalho

Vivemos numa época na qual estar feliz está diretamente relacionado a possuir coisas. Você até já deve ter feito uma lista, nem que seja mentalmente, de tudo aquilo que você precisa ter para ser feliz. É aquele pensamento: Quando eu tiver minha casa própria eu serei feliz. Quando eu conseguir meu emprego dos sonhos eu serei feliz. Quando eu finalmente ganhar X reais como salário, aí sim eu serei feliz. Como você pode ver, a felicidade passa a ser consequência da aquisição de bens materiais, ou de uma mudança de status financeiro.

Veja bem: algumas coisas são realmente necessárias, até porque ser feliz na miséria é meio difícil. Por isso, vamos pautar nosso texto partindo do princípio de que você tem acesso ao básico (comida, moradia, roupa etc.). O que questionamos aqui é quando foi que passamos a nos importar tanto, ou mais do que necessário, com a construção de um patrimônio, a ponto de vincular isso com o alcance da felicidade. Esquecemos de aproveitar o presente e literalmente sacrificamos nossas vidas para comprar coisas e, com isso, tentar sentir o prazer de ser feliz.

Até o conceito de felicidade passou a ter um significado meio sobrenatural, como se fosse o mesmo que alcançar o nirvana, e não algo temporário e pontual que sentimos ao longo da vida. Sim, porque a vida é um turbilhão de sentimentos e pensamentos, de modo que a felicidade é apenas uma das peças do quebra-cabeça que são nossas emoções. O misticismo e a idolatria em torno dessa sensação de ser feliz chegou a tal ponto que hoje a felicidade também é tratada como mercadoria.

abra-a-felicidade-coca-cola-irmascarvalho
Fonte: 1001 ideias

Mas afinal, o que é ser feliz? Não existe uma resposta certa para essa pergunta (até porque esse é um conceito bem subjetivo), mas existe sim um consenso de que ela não está ligada a coisas. Se você pensar em todos os momentos felizes da sua vida, todos eles estão relacionados a pessoas ou a conquistas, e não a aquisições de objetos.

É claro que não estamos dizendo que você não deve ter ambição, ou que é errado se sentir bem quando você finalmente adquiri algo que queria muito, como o carro próprio, por exemplo, ou que você não deve estabelecer sonhos e objetivos. Não é isso. A questão é que o ato de comprar, ou possuir algo, não deve ser o centro da sua vida.

Resultado de imagem para felicidade
Fonte: Fabrício Ottoni

Então, a nossa sugestão é que talvez seja melhor parar de focar tanto em comprar coisas, e se dedicar mais a melhorar seus relacionamentos, ou passar por experiências novas, fazer algo por si mesmo.

Lembre-se:

As melhores coisas do mundo não são coisas.

 

 

Você não é todo mundo

Como dizia (ainda diz na verdade) minha querida mãe: você não é todo mundo. É claro que ela dizia isso quando não queria permitir que eu fizesse alguma coisa, especialmente quando alegava que todos que eu conhecia fariam algo ou iriam para algum lugar. Aquela conversa de sempre… Na época eu não entendia, mas essa frase nunca fez tanto sentido para mim quanto agora, nessa minha fase da vida.

Não, eu não sou todo mundo. Eu não tenho o melhor emprego, nem tenho meu próprio carro ou meu próprio apartamento. Eu não ganho um super salário e nem faço viagens incríveis dignas das melhores fotos do Instagram. Eu não tenho um super-namorado. Na verdade tenho problemas com relacionamentos… Ainda estou lutando para conquistar algo melhor e superar meus próprios medos.

Não, eu não tomei as mesmas decisões que você. Por isso temos caminhos diferentes, passamos por processos diferentes. Eu sei que minha vida é fruto das minhas escolhas, e eu escolhi o que é melhor para mim. Não quero ser igual aos outros, não quero calçar suas sandálias, nem vestir suas roupas. Quero ser feliz da minha maneira. Afinal, sou eu que terei que conviver com as consequências das minhas escolhas.

Hoje eu entendo que não sou obrigada a nada. E isso abrange desde relacionamentos ruins até ter a vida que os outros “acham” que é melhor para mim. Eu ainda tenho que aprender muitas coisas, é verdade… Mas farei no meu tempo. Não carregarei o fardo de tentar viver a vida de outra pessoa. A estrada da vida é longa demais para isso…

Não, você não é todo mundo. Não se compare a ninguém, nem paute sua vida nas decisões alheias. A única pessoa que realmente sabe o peso de sua vida é você.

Ponto de ajuste

Nosso corpo possui uma capacidade de adaptação incrível. Somos capazes, física e psicologicamente, de adaptar nossa fisiologia a um grande número de situações completamente distintas. Porém, essa capacidade é limitada e quando esses limites são ultrapassados nós nos tornamos doentes. Esse mesmo princípio se aplica a vida de uma forma geral.

Quase Sempre extraímos o máximo que podemos das nossas situações e condições atuais, o problema é que nem sempre essas condições são aceitáveis. Empurramos com a barriga crenças, maus hábitos e falta de atitude durante meses ou anos, até que a situação se torna insuportável. Quando já não rendemos, não avançamos e as gambiarras não dão conta de resolver os problemas (ao menos não de modo satisfatório) é hora de demolir todas as nossas estruturas internas e criar uma nova pessoa.

Só progride quem se adapta. Mudar o modo de pensar, de enxergar e agir é difícil, mas indispensável.

Sede de viver

Creio que todos nós em algum momento da vida tenhamos aquela imensa vontade de fazer alguma coisa… Sem saber exatamente o quê. Eu penso que na verdade isso seja um desejo imenso de deixar uma marca no mundo, de ter uma atividade importante, daquelas que te fazer se sentir bem antes de dormir.

Parte disso se deve ao fato de nunca estarmos completamente satisfeitos com o que temos. A vida do outro é sempre mais interessante, mais importante, mais legal. A outra parte se deve ao nosso medo. Deixamos de fazer coisas que gostamos, que fazer parte da nossa personalidade (às vezes até da nossa alma) por receio de enfrentar desafios e/ou ter que assumir responsabilidades. Resultado: ansiedade, angústia e desânimo.

Mesmo que nada esteja perfeitamente do jeito que queremos, isso não é razão para não desfrutarmos de nossa própria vida (é impossível viver a realidade dos outros!). Tampouco preguiça ou medo são boas razões para se acomodar: eles não valem a dor que provocam.

O copo está bem na nossa frente, basta beber.

O mundo dá muitas voltas

Viver realmente é uma grande aventura. Nunca sabemos o que nos espera na próxima esquina, ou quem poderá cruzar o nosso caminho. É essa natureza imprevisível que torna tudo mais interessante, não é? Porém, nunca se esqueça que certas coisas nunca mudam. Certas leis não tem vencimento, pois reinam absolutas no transcorrer do curso do universo. A natureza é sábia, afinal Deus é Sábio.

A lei do retorno, por exemplo, é infalível e irredutível. Tudo que você planta, há de colher. O mundo dá muitas voltas. Pode demorar sim, as lições não são aprendidas de uma hora para outra. Ás vezes os erros demoram a ser digeridos, enquanto em outras situações a ação do tempo é necessária para o processo de aprendizagem. Aprende quem foi ferido e quem feriu. Aprende quem tem dificuldades para superar. Todos são afetados, mesmo que de formas diferentes.

Então não seja arrogante ou preponente, não maltrate ninguém, não seja inconveniente, nem intrometido, não dissemine o ódio, não provoque o sofrimento do outro nem o diminua. Você não é superior a ninguém, não é intocável. Isso serve para todos, para mim e para você. Às vezes Deus coloca pessoas assim em nossas vidas para nos ensinar, nem que seja nos ensinar a não ser como elas. Afinal também estamos nessa terra para aprender muito.

Seja amoroso, seja bondoso, seja feliz, seja pacífico, seja amigo, seja leal, seja fiel, não tenha vergonha de suas qualidades. De acordo com a lei do retorno, quem planta amor, nunca colherá ódio. Quem se dedica, sempre alcança. É cliché? Sim, MAS É A PURA VERDADE. Agora não pense que exalando coisas ruins pelo mundo, sua vida será um mar de rosas. Tá na hora de amadurecer e aprender que o mundo dá muitas voltas, e nem sempre você estará onde está agora.

E se alguém te machucou, se alguém te feriu, acredite: essa lei vale para ele/ela também. Mas não se esqueça de estar sempre vigilante com relação a SUA PRÓPRIA VIDA, para não sofrer as consequências no futuro. Cuide para semear bons sentimentos por onde você passar. A vida irá recompensá-lo por isso.